Nosso Blog

6 insights para LÍDERES em 2022

Embora não possamos prever o futuro, podemos dizer que o próximo ano não será um retorno aos negócios como de costume. A pandemia, agitação social, divisões culturais e novas possibilidades de trabalhos remotos nos garantem que as equipes de liderança e negócios no próximo ano serão tudo menos o “negócios como de costume”. 

 

As tendências tecnológicas de automação, digitalização e hibridização – nas quais os trabalhadores precisam aprender conjuntos de habilidades fora de suas funções – combinadas com novas formas de trabalho (remoto, presencial ou um híbrido) exigirão que os líderes sejam ágeis, empáticos, inclusivos e com foco estratégico.

 

Mas como os líderes podem se preparar para os desafios de 2022?

Segundo o The HR Digest estes são os 6 insigths para líderes em 2022

 

1- USE A TECNOLOGIA DE FORMA HUMANA, POR RAZÕES HUMANAS

 

Mesmo quando se trata de um futuro próximo, a capacidade de se adaptar às novas tecnologias é sempre uma prioridade. E a questão paira na mente da força de trabalho: é uma ferramenta ou um inimigo?

 

Diversas pesquisas estão sendo produzidas atualmente, como a do professor Roshni Raveendhran, da Universidade de Virginia. Ele explora a integração de novas tecnologias no local de trabalho – e onde essas tecnologias se cruzam com a psicologia do comportamento humano.

 

Com estudos que incluem o exame de tecnologia de monitoramento e o uso de realidade virtual e aumentada, Raveendhran mantém o foco no uso de novos sistemas para aumentar a qualidade da vida humana – e como usar novas tecnologias de forma responsável. 

 

Por exemplo: O uso de avatares pode aliviar uma sensação de ameaça social por meio da distância psicológica. Ou de plataformas LMS e aplicativos que possam medir o comportamento de uma organização e serem usados para o desenvolvimento de todos, em vez de fazer com que se sintam constantemente monitorados.

 

Portanto, haverá muito mais demanda por tecnologias que melhorem a cultura de trabalho da organização. 

 

2- MANTER E MELHORAR A CULTURA DA EMPRESA

 

Não importa se a empresa mantém o trabalho remoto, híbrido ou totalmente presencial,  os líderes precisam nutrir um senso de trabalho em equipe e cultura organizacional em meio a tantas transformações.

 

A professora Laura Morgan Roberts, especialista em potencial humano, diversidade e desenvolvimento de liderança, observa que uma liderança engajada é o que toda organização precisa, seja ela remota ou face a face. 

 

Mesmo depois de uma crise, haverá um novo normal, e os líderes precisam mapear velhos valores, comportamentos e normas – até mesmo e especialmente os não ditos – e contrastá-los com o que esse novo normal poderia ser. À medida que as empresas competem e crescem, as bem-sucedidas enfatizam uma cultura com formas inclusivas e autênticas de desenvolver e reter talentos.

 

3- AVANÇAR NOS ESFORÇOS DE DIVERSIDADE E INCLUSÃO INTELIGENTE

 

À medida que avançamos, no próximo ano ou em qualquer ano, os líderes de sucesso precisarão ir além, levando suas organizações a abraçar a importância da inclusão inteligente.

 

Em última análise, o impacto dos esforços de diversidade, equidade e inclusão, embora bem intencionados, dependem de como eles são vistos.

 

Décadas de pesquisa em psicologia social e comportamento organizacional mostram que quando os indivíduos questionam o valor da identidade de grupo, as ameaças à identidade social que eles registram são maciçamente prejudiciais não apenas para o indivíduo, mas para o relacionamento do indivíduo com a organização. 

 

Uma das principais questões é como essas organizações podem criar e instituir programas e políticas que trabalham para eliminar a desigualdade racial, de gênero e outras, reduzindo a reatividade psicológica que surge em resposta ao atritos que esses programas podem alavancar. 

 

Ou seja, não apenas criar programas de inclusão, mas também criar consciência de sua relevância para o todo. 

 

4- ESTAMOS TODOS NO MESMO BARCO

 

O atrito pode afundar o barco, mantendo os membros da equipe fora de sincronia quando, na verdade, eles deveriam seguir os mesmos objetivos. O trabalho em equipe é um imperativo empresarial e a base do alto desempenho.

 

Para entender melhor a relevância dos esforços conjuntos em uma organização, podemos usar a metáfora da equipe de remo: 

 

 O que é preciso para remar junto com outras sete pessoas? Isto é uma verdadeira manifestação do trabalho em equipe em ação:

 

As equipes vencedoras compartilham características comuns: não apenas todos os membros devem ter domínio da técnica e um nível semelhante de talento, embora com qualidades diferentes, mas também devem aprender a remar com o resto da equipe.

 

Como membro da equipe, cada remador deve aprender a seguir e liderar simultaneamente. Estrelas individuais apenas irão desacelerar o barco.

 

5 – A LIDERANÇA PODE SER ENSINADA

 

Para levar suas equipes aos próximos níveis de realização, as organizações de sucesso precisarão de uma compreensão coesa sobre o que é e o que não é uma liderança. 

 

A verdadeira liderança tem a ver com influência, não poder; é mais inspiração do que controle. O poder é baseado na dependência de outros e a autoridade é baseada na hierarquia formalizada. Abordagens de comando e controle levam ao esgotamento e desligamento.

 

Os líderes inspiram as pessoas a agir. Trabalhar por meio da influência requer mais esforço do que exercer poder, mas, a longo prazo, isso leva a equipes mais engajadas, voltadas para o propósito e produtivas. 

 

Ao olhar para resultados objetivos versus a percepção de eficácia, são os comportamentos, não a personalidade, que levam a lideranças e equipes de sucesso.

 

 

A  boa notícia é que isso pode ser ensinado. É importante entender que a liderança é um processo e que há etapas ativas que podem ser executadas para cultivar as habilidades necessárias – independentemente do título.

 

6- O NEGÓCIO É HUMANO

 

Embora o COVID-19 tenha acelerado a adoção em massa de novas tecnologias, ele também destaca o fato de que alguns fatores são constantes: A liderança é profundamente humana. 

 

Na era da automação, os traços humanos de decisão, compaixão e ética são essenciais para manter o sucesso dos negócios. Afinal, uma organização é feita de pessoas. A tecnologia pode tornar nossos processos mais eficientes, mas não pode nos tornar melhores colegas, funcionários ou líderes.

 

A liderança requer um toque humano agora mais do que nunca.

 

Quer mais? Separamos ainda 3 dicas de como desenvolver habilidades de lidenrança na sua equipe!

3 Dicas para desenvolver a habilidade de liderança nos gestores de equipe

 

Apesar dos gestores de equipe transparecerem uma liderança nata quando se trata de levar os outros colaboradores ao sucesso, eles não nascem sabendo.

 

Então, se você busca desenvolver a habilidade de liderança dos gestores da sua empresa, aqui vão algumas dicas incríveis para formar líderes que inspiram, motivam e guiam os demais talentos à alcançar o seu máximo potencial.

 

1 Conexão interpessoal bem estabelecida com os membros da equipe para manter uma comunicação clara, assertiva e aberta com todos.

 

Todas essas habilidades fazem parte de bons gestores de equipe porque lidam diretamente com a gestão de pessoas, que exigem muitas habilidades comportamentais para enxergar o outro e saber como liderá-lo.

 

2 O propósito da equipe é o que a mantém engajada com a empresa, dedicada às atividades do cargo e motivada em realizar o melhor trabalho possível.

Portanto, essa é uma das tarefas dos gestores, a de entregar um propósito que seja grande o suficiente para inspirar os colaboradores e convencê-los a darem o melhor de si.

Aqui, o departamento de RH é capaz de prestar suporte na busca pelo propósito que os gestores devem entregar para a equipe, já que precisa ser uma missão que esteja em sintonia com o negócio.

 

3 Um dos maiores erros de gestores de equipe é acreditarem que o time é homogêneo.

Essa confusão acontece porque os colaboradores trabalham em equipe para alcançar um propósito em comum, mas os líderes precisam lembrar que cada pessoa tem as suas especificidades, e devem ser tratadas de maneira individual.

 

Por exemplo, entregar um feedback construtivo em um ambiente descontraído e entre os outros membros da equipe pode ser tranquilo para o colaborador I, mas se o gestor entregar o feedback da mesma forma para o colaborador II, ele pode se sentir envergonhado e ficar desmotivado no trabalho.

 

O incentivo à comunicação aberta dos gestores com os membros da equipe é um dos principais fatores no desenvolvimento de líderes de alta performance.

 

Como os gestores estão em constante contato com os colaboradores, o departamento de RH pode incentivar a implementação de uma cultura de feedback na empresa, onde os líderes coletam feedbacks a respeito de sua gestão e vice-versa. Inclusive, os gestores conseguem deixar claro as expectativas, as atividades que devem ser realizadas, os prazos de entregas e mais, sem que a satisfação e o desempenho dos colaboradores sejam comprometidos porque, simplesmente, a comunicação é eficiente.

 

Os gestores de equipe precisam ter ciência sobre o tipo de liderança que exercem porque, dessa maneira, têm conhecimento sobre quais são seus pontos fortes, os quais servem para impulsionar a equipe, e quais são os pontos fracos, aqueles que devem ser aprimorados em prol do negócio.

 

Se você busca treinar e desenvolver esses talentos para maximizar o potencial da equipe e atingir as metas da companhia em pouco tempo, entre em contato agora mesmo com a Umentor e prepare a sua empresa para o sucesso!

 

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Últimas Notícias