Nosso Blog

Por que o feedback é importante para as lideranças?

Uma boa comunicação no ambiente de trabalho é essencial, não é mesmo? Comunicar com clareza e assertividade é uma ótima maneira de colocar em prática aspectos importantes para o exercício da função e aperfeiçoamento da performance do colaborador.

 

Dentre as diversas formas de comunicação no mundo corporativo, a principal delas certamente é o feedback. O feedback é diferente de uma comunicação informal já que tem objetivos muito claros. 

 

A ideia por trás do feedback é fornecer informações com o intuito de contribuir para o aperfeiçoamento e qualificação de um profissional. 

 

Em uma organização estruturada, esse é um dos pilares de uma cultura de aprimoramento contínuo.

 

 Quer conhecer mais sobre o tema? Confira o nosso post e entenda!

 

 

O que é um feedback? 

 

De início, vamos começar por um conceito?

 

 O feedback pode ser considerado tanto  um processo de comunicação, retorno, nivelamento e percepção, quanto a capacidade de dar e receber opiniões ou críticas estruturadas e objetivas. 

 

Em síntese, ele diz respeito a informar ao outro a percepção sobre alguma ação ou comportamento. 

 

No ambiente de trabalho, o feedback é uma ferramenta. Ou seja, um procedimento que consiste na troca de informações a respeito de uma pessoa, sobre o seu desempenho, conduta ou ação executada em determinado período ou acontecimento. 

 

Mas o feedback não é uma conversa qualquer, ele precisa ser pensado em relação aos seus objetivos. Isso quer dizer que um bom feedback serve como  ferramenta para orientar, reorientar e/ou estimular uma ou mais ações de melhoria, sobre as ações futuras ou executadas anteriormente. 



Quais os objetivos do feedback?

 

Como dito anteriormente, o feedback é uma conversa estruturada com objetivos claros. Mas quais são eles?

 

Os objetivos podem ser pensados de acordo com a intenção do feedback. No entanto, existem alguns parâmetros comuns para pensarmos.

 

1) Ajudar para a mudança de comportamento: é comunicação a uma pessoa, ou grupo, no sentido de fornecer-lhe informações sobre como sua atuação está afetando outras pessoas.

 

2) Alcançar seus objetivos: o Feedback eficaz ajuda o indivíduo (ou grupo) a melhorar seu desempenho e assim 

 

3) Construir uma crítica construtiva: a crítica é parte fundamental do processo que visa orientar as pessoas a apresentarem comportamento e desempenho adequados a uma determinada situação.

 

Você já deve ter ouvido que a crítica nos faz evoluir ou crescer, não é? Pois é exatamente este o objetivo de um bom feedback!

 

Nós estamos sendo analisados a todo momento, mas a análise focada no seu desenvolvimento é diferente. Isso porque toda crítica que recebemos em relação àquilo que realizamos é de essencial importância para nosso aprendizado e crescimento. Ela permite que modifiquemos nossa maneira de encarar e lidar com determinados assuntos e ideias, e trabalhemos com mais empenho se necessário, em busca de melhores resultados. 

 

Há muitos benefícios em uma cultura organizacional que estimula o feedback entre os colaboradores.  

 

As organizações deveriam não somente usar bem o feedback, mas inclusive estimulá-lo entre todos os colaboradores, em especial entre gestores e empregados. 

 

E neste sentido, em síntese, elencamos os benefícios desta técnica, o feedback pode:  

 

  • Reformular comportamentos e defini-los;  
  • Otimizar o potencial dos funcionários;  
  • Melhorar resultados apresentados;  
  • Alavancar futuros de resultados;  
  • Melhorar habilidades;  
  • Fomentar relações pessoais;  
  • Melhorar o desempenho;  
  • Aperfeiçoar o crescimento profissional; 
  •  Ajudar nas tomadas de decisões;  
  • Maximizar o desempenho de um indivíduo ou de um grupo; 
  • Facilitar a consolidação das ações e seus resultados;  
  • Impactar na produtividade, autoestima e motivação;  
  • Aperfeiçoar a performance;  
  • Auxiliar no autoconhecimento;  
  • Auxiliar no processo de autodesenvolvimento;   
  • Busca corrigir erros, interpretações errôneas e desvios de direção. 



São muitos benefícios, pois através do feedback nós nos asseguramos de que estamos sendo compreendidos pelos outros e estamos compreendendo os outros. 

 

Com o uso contínuo de feedback estamos também demonstrando a nossa capacidade de adaptação e assegurando boas relações com as pessoas com as quais interagimos no ambiente de trabalho. 



O feedback beneficia o colaborador! 

 

O feedback poderá contribuir para que o colaborador se sinta reconhecido, motivado e comprometido com a empresa e com os resultados do seu trabalho. 

 

Mas por que será? 

 

O feedback oferece maior oportunidade de desenvolvimento para a pessoa e para a organização. No processo de desenvolvimento da competência interpessoal o feedback é um importante recurso porque permite que vejamos como somos vistos pelos outros. 

 

O objetivo fundamental do feedback é ajudar as pessoas a melhorarem seu desempenho e performance (desempenho ao longo do tempo) através do fornecimento de informações, dados, críticas e orientações que permitam reposicionar suas ações em um maior nível de eficiência, eficácia, efetividade e excelência.

 

Do ponto de vista corporativo, o feedback é um instrumento que traz  ganhos significativos para a organização e para seus colaboradores, pois auxilia no desenvolvimento, promovendo um ambiente de aprendizado, além de possibilitar que a organização conte com funcionários atuando de maneira mais assertiva, proativa e consciente do seu potencial.

 

Princípios básicos para o feedback eficaz 

 

Tendo em vista a sua relevância, principalmente para o desenvolvimento do capital humano da organização, o feedback constitui uma das habilidades interpessoais imprescindíveis em qualquer contexto. 

 

Especialmente, para aquelas empresas preocupadas com o futuro, com a retenção de talentos, com o desempenho e qualidade de vida de seus colaboradores. 

 

Por isso, separamos alguns princípios básicos que devem ser observados para que o feedback seja efetivo, válido e relevante. 





Relacionamento

 

A qualidade de qualquer relação, seja profissional ou pessoal, depende da quantidade e da qualidade do feedback que cada indivíduo recebe do outro. Se o feedback for pobre, a relação será igualmente fraca. Se for crítico ou ofensivo, assim será a relação. Mas se for positivo, a relação também será positiva 

Verdade, sinceridade e ausência de julgamento 

 

Todo feedback deve ser autêntico. Deve conter toda a verdade, isto é, aquilo que se acredita ser verdadeiro. E é muito importante que quem o recebe sinta a sinceridade do emissor, só assim o feedback será bem recebido.

 

Respeito e confiança 

 

Todo feedback deve conter respeito genuíno pela pessoa do outro. Deve-se dizer o que se sente com firmeza, mas sem agressividade. É comum as pessoas terem dificuldade em lidar com o feedback, assim para superar essas barreiras é fundamental estabelecer uma relação de respeito e confiança. 

 

Escuta Ativa/Escuta Empática 

 

Para dar e receber feedback é preciso se concentrar no momento presente. Se for preciso, o feedback pode ser adiado, mas nunca poderá acontecer sem plena entrega e atenção, visto que a dificuldade de atenção e concentração interfere decisivamente no conteúdo da mensagem. Ouvir é dar ouvidos ao outro, quase de forma mecânica, de forma passiva, mas escutar requer uma ação, é sentir o outro. 

 

Os tipos de feedback a partir de seu objetivo: 

 

Os feedbacks podem ser de diversos tipos. Algumas vezes divididos pela estrutura e outras pelo seu propósito. Separamos aqui três tipos de feedback de acordo com o seu objetivo: reconhecimento, orientação ou avaliação. 




Nesta perspectiva, cada forma de feedback – reconhecimento, orientação ou avaliação – desempenha um papel importante e satisfaz um grupo diferente de necessidades humanas. 



  • Reconhecimento: reconhecer, conectar, motivar e agradecer;  

 

  • Orientação: ajudar o receptor a aumentar seus conhecimentos, aprimorar suas técnicas, aperfeiçoar suas capacidades ou qualificação;  

 

  • Avaliação: classificar ou comparar com um padrão, ajustar expectativas, subsidiar a tomada de decisões. Assim, torna-se necessário ter clareza do objetivo do feedback e antes de iniciá-lo discutir explicitamente, entre emissor e receptor, seu propósito.

 

 

Com estas dicas e com o passo a passo você conseguirá chegar cada vez mais perto de dar e receber feedbacks assertivos. A plataforma da Umentor disponibiliza um curso na universidade corporativa denominado “Feedback Assertivo”, ministrado pelo professor Alexandre Lima, que auxiliará ainda mais os gestores neste processo. 

Se você achou este conteúdo útil, compartilhe com seu gestor ou demais colegas gestores.

Confira mais conteúdos como este em nosso blog e nas nossas redes sociais.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Últimas Notícias